S.f(a) Med. Incisão no episio ou períneo.

DEPOIMENTO.

EPISIOTOMIA!
Por Kathy.

"Que bicho é esse? É uma intervenção feita rotineiramente nos partos normais hospitalares. Uma incisão, ou corte se preferir, no períneo, que teoricamente tem o objetivo de "facilitar" a saída do bebê e prevenir lacerações. É isso mesmo que você está pensando. Um corte "lá"! Ai!

Parece coisa de maluco? Pois é, acontece que, assim como a maioria dos procedimentos médicos no momento do parto, a episiotomia é uma intervenção "de rotina", ou seja, não se avalia em cada caso a necessidade ou não de utilizá-la, ela simplesmente é realizada na maioria das mulheres que têm partos normais hospitalares. Faz parte do processo, simplesmente virou algo comum. Um absurdo, né?

Eu passei por uma episiotomia consentida. O plantonista que fez meu parto me perguntou se poderia fazê-la, e eu concordei. Onde diabos ela estava com a cabeça, você pode perguntar, e eu responderei: estava morrendo de medo de me rasgar inteira e muito mal informada!

Explico: O que aconteceu comigo no meu parto foi o chamado "efeito-cascata" de intervenções. Por estar num lugar onde não me sentia a vontade (hospital), estava insegura, sem uma doula (uma acompanhante de parto), e com o pai do meu filho, que estava tão apavorado quanto eu.

Num certo momento do meu parto a dor das contrações estava insuportável. Eu então pedi a anestesia, o que não era minha idéia inicial (o plano era parir naturalmente). O problema foi que, por estar anestesiada, eu quando chegou a hora de fazer força para o bebê nascer, eu morria de medo pois não sentia nada! Não conseguia saber se estava fazendo força demais ou de menos, não controlava mais meu corpo e me travava com medo de "rasgar"...

Então me foi sugerida a episio, que eu aceitei prontamente. Poderia ter tido outra opção? Com toda certeza! Talvez o médico pudesse ter amparado meu períneo, talvez a anestesia pudesse ter sido um pouco mais fraca, a ponto de que eu conseguisse controlar minha própria força. Talvez até se eu estivesse melhor amparada, não tivesse nem chegado a pedir a anestesia.

Hoje em dia, pensando num próximo parto, já sei que prefiriria me "arriscar" à laceração do que passar por outra episio. Hoje já sei que com um bom acompanhamento na hora da saída do bebê a laceração pode nem ocorrer e, se ocorrer, que o corte é bem mais superficial do que o corte da episio. Nas lacerações naturais muitas vezes não é nem preciso dar pontos e a recuperação é bem mais rápida.

Aliás, falando em recuperação, eu obviamente levei vários pontos e a minha foi bem chatinha. Doía demais, quando eu sentava ou levantava parecia que a pele ia rasgar. Tive que tomar analgésicos e vivia colocando um remédio em spray para aliviar o desconforto, que durou uns dez dias. Isso tudo somado ao sangramento pós-parto e àqueles horríveis absorventes gigantescos causavam um grande incômodo. Fora que eu tinha uma aflição enorme ao passar a mão e sentir aqueles pontos ali!

Hoje em dia está tudo normal, mas a minha cicatriz da episio está aqui, me lembrando que certas escolhas parecem pequenas, mas trazem consequências que ficam para sempre."
  


Outras informações sobre Episiotomia:

Palavras com 11 Letras
A Palavra Episiotomia possui 11 Letras
A Palavra Episiotomia possui 7 vogais - e i io o ia
A Palavra Episiotomia possui 4 consoantes - p s t m
A Palavra Episiotomia ao contrário: Aimotoisipe
Busca reversa Onomasiológica por Episiotomia

1 página - 1 Definição